Estudantes devem buscar novas opções de destino para graduação internacional

São Paulo 14/5/2021 –

Um dos destinos que têm chamado mais atenção dos estudantes brasileiros que buscam graduação internacional é o Reino Unido

Estudantes brasileiros que pensam em estudar fora do Brasil são muitas vezes levados a dar preferência para universidades norte-americanas ou canadenses, talvez pela fama ou por achar que os custos são menores comparados com outros países, principalmente em relação à Europa.

A verdade é que há muita falta de informação sobre as oportunidades em outros países e mesmo quando o estudante busca ajuda pode não ser orientado a conhecer outras possibilidades e analisar os cursos oferecidos em outros lugares do mundo com base no seu perfil e nos seus objetivos profissionais.

Um destino que tem ganhado visibilidade pelos estudantes brasileiros é o Reino Unido, que engloba Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. “Muito desta nova visão está suportada pelo entendimento de algumas vantagens de viver em um país europeu e, ao se aprofundar nesta análise, eliminar mitos, principalmente em relação ao custo de vida”, explica Valéria Mateus, diretora executiva da OK Student, consultoria acadêmica para estudantes brasileiros que querem ingressar em uma universidade no Reino Unido.

O Reino Unido conta com mais de 130 instituições de ensino superior e oferece muitas possibilidades, como variedade de cursos, valores acessíveis de mensalidades e tempo menor para finalizar a graduação em comparação com as universidades dos Estados Unidos e Canadá. Em média, o tempo de graduação no Reino Unido é de 36 meses, o que já ajuda a reduzir o valor de investimento. Outro fator importante a ser considerado é o acesso ao sistema de saúde público. Nos EUA, por exemplo, é preciso contratar seguro saúde particular, o que passa a ser um custo a mais considerável.

“Toda essa conjuntura pode ser ainda mais atraente ao saber que estudantes estrangeiros do Reino Unido têm permissão para trabalharem meio período enquanto estudam. Isso garante maior autonomia, além de proporcionar conhecimento e possibilidade de interação com turistas e visitantes de todo o mundo”, revela Valéria Mateus. Pesquisa realizada pela Ok Student com 1 mil estudantes, em 2018, mostrou que mais de 50% deles trabalhavam e se custeavam integralmente.

No caso específico do Reino Unido, vale colocar também na balança aspectos como estar em uma região multicultural, fácil acesso a outros países, possibilidade de ter novas experiências ao poder trabalhar enquanto estuda e aumentar ainda mais as chances de dar sequência em uma carreira internacional.

Website: https://www.okstudent.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *