O sinal amarelo para as montadoras de veículos está ligado

18/6/2021 –

Com o advento da pandemia, diversas montadoras anunciaram uma paralisação na produção de veículos. Desse modo, o consumidor tem recorrido ao mercado de seminovos.

A economia, nos mais variados setores, sofreu impactos com a pandemia do novo coronavírus. As medidas restritivas para tentar frear os avanços da doença causaram diversas consequências para a indústria como um todo, mas, em especial, acelerou as decisões de algumas montadoras. Desde o início de 2021, ao menos dez montadoras de automóveis, caminhões e ônibus anunciaram a paralisação da produção de veículos no Brasil, dentre elas Volkswagen, Toyota, Nissan e Mercedes-Benz.

Segundo números da Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores (Fenabrave), o primeiro trimestre deste ano foi mais enxuto no que se refere às vendas de veículos novos: 527,9 mil unidades licenciadas. Esse valor representa um deficit de 5,4% quando comparado ao volume do mesmo período do ano anterior. A pesquisa ainda evidencia que, em fevereiro deste ano, o segmento de usados expandiu 15,1% em relação a fevereiro de 2020, ou seja, os consumidores estão mais propícios a investir nos seminovos até que a economia se recupere.

Outro ponto a se considerar na temática das paralisações e do aquecimento do mercado de seminovos é a falta de peças e insumos para a produção de novos veículos. Se as fábricas não estão funcionando, elas não produzem peças. Consequentemente, não há um estoque. Assim, as vendas para montadoras caem, pois não conseguem seguir a linha de produção. Trata-se de um efeito cascata.

A Volkswagen anunciou que manteria as atividades essenciais nas fábricas. Os funcionários das áreas administrativas foram colocados em trabalho remoto – o que representa 13 mil colaboradores da montadora afastados das fábricas de São Bernardo do Campo, Taubaté, São Carlos e São José dos Pinhais. A multinacional alemã afirmou que a paralisação foi acordada com os sindicatos e o período não trabalhado seria compensado futuramente.

Nesse cenário, a paralisação da Volkswagen (e de outras montadoras) abre passagem para que o mercado de seminovos se mantenha aquecido. Apesar das indicações, as medidas restritivas para frear a crise sanitária causam um efeito dominó na indústria. Cabe aos consumidores tentarem tirar proveito desse período e comercializar seus veículos da melhor maneira.

*Por Diego Fischer, CEO da Carupi, startup de tecnologia que facilita o trâmite de compra e venda de automóveis.

Website: http://carupi.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *