storytelling

Qual a diferença que o storytelling trás para o marketing digital?

O storytelling se mantém como um dos recursos favoritos das equipes de marketing, pensar em estratégia digital é elaborar uma série de estratégias para atração, conversão e retenção do público-alvo.  

Uma história é formada por um início e um desfecho, junto a um desenvolvimento compatível com essas entradas e saídas. 

Como um elemento que faz sentido e estimula o pensamento racional e as emoções, a ficção é um grande método de criação de conteúdo.

Partes importantes do storytelling 

O storytelling pode ser definido como a capacidade de esquematizar e comunicar histórias de vidas ficcionais. 

É uma arte com técnicas definidas, testadas ao longo do tempo, caracterizadas por algumas bases, como:

Arcos dramáticos 

Os arcos dramáticos são curvas que indicam a temperatura de uma história conforme ela se desenvolve. Essa temperatura é definida pelo ritmo do storytelling naquele ponto específico e o impacto dos acontecimentos no desfecho da trama. 

Um projeto de pet shop para adotar cachorros pode usar o storytelling para criar uma história curta, em formato de vídeo. 

O emprego dos arcos dramáticos serve para estruturar a ideia que aparece no brainstorm, a fase mais inicial da criação de campanhas. 

Cada arco contém seu clímax, isto é, o ponto de reviravolta na história, contando que um enredo possui em torno de três grandes arcos, cada arco possui um clímax que deve convergir para o maior deles, o ponto de ebulição do enredo inteiro. 

O arco dramático pode ser visto como uma extensão da estrutura de três atos, proposta para esquematizar toda e qualquer ficção. 

Enquanto os três atos apresentam apenas um clímax, o maior, os arcos dramáticos acrescentam detalhes importantes. 

Toda história se inicia com a apresentação de uma situação inicial, precursora à uma crise. 

O desenvolvimento deste problema define todo o primeiro ato, com o clímax pontuado no primeiro enfrentamento do herói à crise.

Nisto se compreende porque o storytelling é tão compatível com o marketing. O segmento atua na conscientização do público quanto a um problema, que pode ser apresentado de maneira intuitiva por meio dos recursos de storytelling. 

O segundo e terceiro arco são marcados pelo agravamento do problema e sua consequente resolução, ao final. 

Em estratégias como o funil de vendas, o enredo pode ser usado na fase de qualificação do lead em letras caixas com LED

Modelos bem-sucedidos na jornada do herói

Ao observar atentamente os grandes clássicos da fantasia, é possível notar com clareza um padrão repetitivo. 

Após a apresentação do problema no primeiro ato, o personagem principal da história recebe um chamado. 

A jornada do herói está presente em diversos gêneros da literatura, mas na fantasia alguns métodos reluzem com maior força. 

Neste gênero, o herói começa sua atuação quando um ente externo, um sábio, o informa de que há uma missão que somente ele pode desbravar. 

O chamado é seguido, nos próximos episódios, pela negação e relutância do herói, que não quer participar da aventura por se considerar incapaz, seja por justiça ou por habilidades mais técnicas. Essa ojeriza contribui com o agravamento do problema. 

Outra coisa que a fase de negação do personagem gera é a humanização do personagem diante do público. 

Nela são expostas as vulnerabilidades do herói e uma parte importante de sua personalidade, tanto em qualidades quanto em defeitos. 

Na jornada do herói, as tensões se concentram até o limiar onde o herói é forçado à ação, momento em que marca o clímax absoluto do enredo. 

Outros modelos bem-sucedidos de enredo apresentam fórmulas parecidas no desenvolvimento do conflito:

  • Jornada de regresso: inicia-se com o retorno do herói;
  • Jornada de redenção: vilão torna-se herói; 
  • Jornada cinderela: herói humilde ascende até o topo; 
  • Jornada de sacrifício: herói se sacrifica para solucionar o conflito. 

Ao escolher qualquer um desses modelos para uma campanha de estudo hidrogeológico, algumas alterações são realizadas na jornada do herói tradicional. 

São caracterizados pelo seu intenso apelo ao público, ilustrando muitas das ficções mais famosas.

Ambientação e narração

A ambientação corresponde a todos os aspectos externos onde o enredo principal é encaixado, como o local, a idade dos personagens, a situação financeira deles, o período em que a história se passa, dentre muitos outros. 

Pensar na ambientação é fundamental para o storytelling por ser este o processo que altera muitos dos acontecimentos que colocam a ideia em marcha. 

Para uma campanha de marketing, a ambientação servirá para aproximar o enredo da realidade do consumidor. 

A ambientação também lança as bases para definir o estilo de narração, que pode ser realizada em primeira, segunda ou terceira pessoa. 

O narrador também pode ser um personagem ou um observador dos fatos, sendo este último onisciente ou não. 

Uma fabricante de carimbo personalizado enfermagem pode contextualizar a história em um ambiente médico, construindo um enredo onde o conflito se desenvolverá com a falta, a necessidade relacionada ao impulso de aquisição do produto, por exemplo.  

Contribuições do storytelling 

O storytelling é um recurso valioso para as campanhas de marketing por sua versatilidade e compatibilidade com o modo como os humanos captam o mundo e percebem sua história pessoal. Para as estratégias de vendas, o storytelling significa:

Publicidade engajadora

O storytelling é ideal para engajar o público-alvo, uma solução para um problema muito comum no que compete à publicidade: manter a atenção da audiência e reverter a resposta básica de aversão ao consumo de propaganda. 

É necessário transformar a propaganda em algo interessante, como uma parte do entretenimento em si, e a arma mais poderosa para alcançar este efeito é o storytelling. O método funciona especialmente com materiais de vídeo. 

O storytelling aplicado ao texto também se populariza com a inserção crescente do copywriting nas campanhas de marketing. 

Um serviço de instalação de telas de proteção janela aplica o conceito em fotos ou descrições de postagens nas redes sociais. 

Identificação da audiência com a proposta

O storytelling é tão agregador por ser capaz de comunicar-se com o lado lúdico, imaginário e criativo da mente humana. 

Não à toa, o método é utilizado desde as primeiras civilizações como forma de aprendizado e passagem de tradições. 

Incluir o recurso em sua campanha é uma forma eficaz de humanizar a marca, uma vez que esta passa a ser representada pelo personagem que norteia o enredo. O processo gradativo de descoberta e resolução do conflito facilita o processo de empatia. 

A empatia é um traço cognitivo que permite aos humanos identificar e espelhar emoções de outros humanos. 

Uma das consequências disso é a capacidade de sentir compaixão ou de se emergir em uma história fictícia, ainda que saiba que aquilo não é real. 

Este efeito é chamado de “suspensão da descrença” e acontece sempre que uma pessoa assiste um filme, lê um livro de ficção ou um episódio de série. Graças a ele, uma audiência pode achar muito interessante um enredo sobre corte a laser em chapa de aço

Maior absorção do conteúdo 

Essa capacidade de envolver a atenção do espectador pode ativar vários mecanismos nervosos ao mesmo tempo, estimulando o raciocínio e engajando a intuição. 

A concentração de vários órgãos dos sentidos acelera o aprendizado e memorização. 

Os sentidos humanos exercem um grande papel no potencial de absorção do conhecimento. 

A maior parte das pessoas são capazes de se lembrar, com mais facilidade, daquilo que viram, e o efeito pode ser mais intenso quando se soma à audição e outros. 

Por isso, o vídeo é tão sedutor, o cinema ultrapassou muitas barreiras no entretenimento pois uniu vários órgãos dos sentidos, aproximando a experiência em tela da realidade. O storytelling em um anúncio de manta casal maximiza este fenômeno. 

Estímulo à criatividade 

A criatividade é a capacidade de fazer conexões improváveis entre diferentes ideias ou elementos da realidade. 

De acordo com a neurologia, essa característica tem sua raiz no potencial de acionar múltiplas redes neurais simultaneamente, durante o raciocínio. 

Uma equipe de marketing deve ser composta por indivíduos criativos, mas cabe também aos seus gestores fornecer os estímulos certos para aproveitar esse potencial. 

O desafio do storytelling provoca desdobramentos improváveis na construção de um enredo interessante. 

Retornando ao brainstorming, fase onde as equipes lançam suas ideias desconexas em uma reunião de criação da campanha, a elaboração dos arcos dramáticos pode compilar todas ou muitas destas ideias, explorando-as de um jeito único. 

Integração entre ferramentas de mídia

Uma empresa que deseja vender suporte de extintor deve atentar-se que o marketing digital utiliza muitas formas de mídia. 

Texto, imagens, áudio e vídeos fazem parte de qualquer campanha e é necessário integrá-las de modo apropriado. 

O storytelling permite que a narrativa se estenda por várias ferramentas de mídia, até mesmo por diferentes plataformas, como um labirinto. O método instiga a participação do usuário, transformando a campanha em experiência interativa.

Conclusão

Sendo assim, o marketing digital tem como objetivo atrair a atenção de um vasto público e mantê-la pelo máximo tempo possível. 

Para tal, a criação de conteúdo com potencial de engajamento é o coração desta atividade, sem a qual nada mais pode ser feito. 

O recurso de storytelling é um bem sucedido modo de engajar a audiência, visto que há demonstrações numerosas de como os humanos gostam de histórias. A capacidade de contar um enredo está ligada à capacidade de imaginar e sonhar. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *